15 de dez de 2012

∞ All I Want Is You (2)

Você sabia o tempo todo, Eu estava com medo de você
Eu pensei que não poderia ser eu mesma
Você tentou ser meu amigo, Mas eu não iria deixá-lo
Se lembra do que você disse, Não perca a sua chance , Sua vida está em suas mãos
Então a leve o mais longe que puder, Mas confiando em si mesmo,
Esqueça todos os outros. Acredite ...
Rebecca Black - My Moment )



Caminhei até ela como um predador, puxei minha arma e bati com força em sua cabeça deixando-a desnorteada, ela se afastou com a mão na cabeça e eu chutei sua perna , ouvi um estalo, sua perna avia quebrado, sorri sádico e pisei em sua mão também quebrando-a, chutei suas costelas e a cada toque meu ela gritava em desespero, a levantei pelos cabelos e a joguei contra a parede, ela chorava e soluçava, me abaixei perto dela e a olhei com um sorriso maldoso no rosto, ela levantou a mão que não estava quebrada e levou até meu rosto o acariciando e me surpreendendo.

Jenny: eu te amo.

a olhei incrédulo e tirei sua mão de meu rosto levantando-me

Eu: o quê? - perguntei assustado-
Jenny: apesar de tudo que você fez e faz, eu te amo.

sussurrou ainda com as lágrimas caindo por seu rosto e apagou, olhei pros meus sócios que assistiam a tudo incrédulos.
como ela podia dizer que me ama depois do que eu fiz? depois de eu tê-la espancado? e agora essa vadia me fez sentir culpado pelo que acabei de fazer.

...

Jenny P.O.V

acordei sentindo todo meu corpo doer, tentei mover minha perna mais uma dor dilacerante tomou conta dela, abri os olhos lentamente -já que ainda estavam fechados- e vi papai sentado no canto da cama olhando pra parede.

Eu: papai -sussurrei-
Jus: -se vira- já acordou?
Eu: é
Jus: você lembra do que me disse antes de desmaiar?
Eu: -virei o rosto- lembro -corei-
Jus: a próxima vez que você namorar sem permissão, seu namorado não vai ser o único a morrer. -mudou de assunto-
Eu: mais se eu pedisse o senhor não deixaria,
Jus: exatamente
Eu: -suspira- certo

ele levantou-se e caminho até a porta, então perguntei o que estava em minha mente, temi sua resposta.

Eu: teria coragem de me matar?
Jus: -me olha- você sabe que sim.

falou e por fim saiu, acho que no fundo eu já sabia que ele teria coragem, mais ouvir da boca dele me dilacerou por dentro, foi como mil facadas em meu coração.
senti uma lágrima descer por meu rosto e a enxuguei rápido, é incrível, apesar de ele ter matado o garoto que eu amo, apesar de ter quebrado minha perna e minha mão, eu simplesmente não consigo odiá-lo , pelo contrário, o amo mais a cada dia, e tenho medo que esse amor possa passar apenas de um amor de filha...

1 semana depois

Justin P.O.V

desci as escadas bufando, essas vadias nunca conseguem me satisfazer, faz 1 semana que eu não falo com a puta que chamo de filha, ah, foda-se, entrei na cozinha e meus olhos foram direto pra Jenny que estava desmaiada perto da pia, por extinto -de pai talvez- corri até ela e a peguei no colo, a levei direto pro quarto, coloquei-a na cama e liguei pro médico de confiança, ao chegar ele me expulsou do quarto, o que fez com que faltasse pouco pra eu dá um tiro na cabeça dele...
depois de quase meia hora ele saiu do quarto.

Eu: e ai.
Dr: bom... o desmaio foi por ela não está se alimentando direito, e também, a algo que ajudou.
Eu: o quê? fala logo porra.
Dr: ela está grávida -pausa- de quase 1 mês.
eu: tem certeza disso?
Dr: sim, dei um calmante pra ela dormir , ela estava agitada, agora se me der licença, preciso ir

meus olhos quase saltaram das órbitas ao imaginar aquele filho da puta a tocando, imaginar seus lábios no corpo dela, e o pior.
imaginar que talvez essa vadia está esperando um filho dele...
abri a porta de uma vez e fui até a cama a empurrando da mesma e fazendo-a acordar assustada, levantei ela do chão e a empurrei contra a parede, ela apenas me olhou assustada.

Jenny o qu- que eu fiz? -gaguejou-
Eu: você estava namorando com aquele filho da puta a quase 1 mês?
Jenny: si-sim
Eu: então é ele? ele é o pai?
Jenny: pa-pai? do quê?
Eu: você está grávida sua vadia -gritei-
Jenny: estou? -sorri de canto-

bati com força na parede ao seu lado ao ver seu sorriso.

Eu: você não podia ter feito isso vagabunda -grita- você é minha , só minha e tudo que eu quero é você(All I Want Is You)...



Continua...



E ai? tudo bem bebês, ai está o cap 2, espero que gostem, você votaram e a Beki fica, mais se ela não voltar a postar logo, eu a tiro e coloco outra pessoa, tá decidido.


tenho vagas para afiliados, quem quer afiliar-se?