28 de ago de 2012

Proibido 2ª Temporada        -Cap 3


::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Sam P.O.V

Fred: mamãe , socorro , socorro , eu perdi a Sam, eu a perdi. 

ouvi Fred entrar em casa e gritar desesperado, estava sentada no sofá observando, Cristine apareceu onde ele estava.

Cristine: acalme-se filho. 
Fred: me acalmar? me acalmar? eu perdi a Sam. -gritou- 

se fosse em outra situação eu até riria do desespero dele, mais como não é...
levantei e fui até ele ficando atrás do mesmo.

Eu: Fred
Fred: agora não Sam, não tá vendo que eu to preocupado com a Sam?

OK, agora não deu pra segurar, comecei a rir e só ai ele pareceu cair na real, o mesmo virou-se pra mim e me pegou no colo.

Fred: nunca, nunca mais faça isso entendeu?

sussurrou no meu ouvido quase chorando. 

Eu: eu me senti mal por isso vim pra casa -menti-  me desculpe. 
Fred: tudo bem.

disse partindo o abraço 

Fred: cadê a Déb(Débora)?
Cristine: está lá em cima com um amigo -falou voltando da cozinha-
Fred: lá em cima? sozinhos?
Cristine: sim.

Fred começou a subir as escadas e Cristine me olhou apreensiva. 

Eu: eu falo com ele.

falei e subi as escadas encontrando-o parado em frente a porta do quarto da Déb, ele chutou a porta do mesmo e a cena que encontramos não facilitava muito o lado da Déb. o tal garoto estava sentado na cama sem camisa com a Déb em suas pernas apenas com um mini short e um sutiã, o ódio em Fred era visível, se estivéssemos em um desenho animado estaria saindo fumaça dos ouvidos dele. ele agarrou o garoto pelo braço e saiu puxando-o pelas escadas. 

Débora: solta ele Fred -gritou em desespero- 
Eu: solte-o Fred -intervi- 

ele nos ignorou e abriu a porta jogando o garoto pra fora.

Fred: e não apareça mais aqui seu vagabundo. 

gritou e bateu a porta com força, virou-se e encarou Déb, jurei que ele fosse matá-la com o olhar.

Débora: você não tinha o direito de fazer isso -grita-
Fred: eu sou seu irmão mais velho. -grita-
Débora: mais você não é o meu pai. -grita-
Fred: mais estou no lugar dele. -falou mais calmo- 
Débora: eu te odeio, queria que você não fosse meu irmão, queria que você morresse. 

gritou e eu arregalei os olhos, Fred ficou parado como se as palavras de Déb estivessem passeando por sua mente.

Débora: Fred eu... e-eu... me desculpa, foi sem querer, eu não quis dizer isso.
Fred: nunca -pausa- nunca mais me dirija a palavra. 

falou por fim e subiu as escadas, ela pegou pesado, avia o magoado e por algum motivo aquilo me lembrava algo.

Débora: Sam, me ajuda -pediu chorando-
Eu: ele errou, mais você foi muito pior.

falei e subi as escadas, não ia passar a mão na cabeça dela e dizer "Vai ficar tudo bem", ela não merece, não ainda.

2 Semanas depois
Débora: me passa o suco Fred?

pediu baixinho, já fazia 2 semanas e eles ainda não aviam se falado, e sinceramente, isso já estava me irritando.

Débora: por favor Fred, eu não aguento mais ficar sem falar com você. -falou chorando-
Fred: vai se foder e me esquece.
Débora: você não pode falar assim comigo, eu sou sua irmã.
Fred: foda-se.
Débora: quer saber, quero mais é que você morra  mesmo. -grita e se levanta-
Fred: e eu quero que você se foda, você e aquele moleque idiota. -grita e fica de frente com ela-
Eu: já chega -gritei o mais alto que pude- eu to cheia, cheia disso me entenderam? que porra, vocês são irmãos caralho, você Débora, não é puta pra foder com o primeiro que aparecer, você tem 15 anos, ainda vai ter muito pra isso, e você Fred, aprenda, você tem 18 anos mais não é o pai da Débora, e aprenda, ela não é mais criança, você querendo ou não uma hora ela vai dar a porra dessa  bo****

falei tudo gritando fazendo ele e Déb arregalarem os olhos, não só por me verem gritar mais também por me verem falar palavrões, coisa que nunca avia feito durante os 6 meses que estávamos morando juntos.

Eu: eu preciso dá uma volta

suspirei e sai da casa o mais rápido que pude, comecei a caminhar de cabeça baixa enquanto chutava uma pedrinha, continuei caminhando e de repente bati de frente com alguém, cai de bunda no chão, gemi baixinho de dor, vi uma mão ser estendida a mim e a segurei, a mesma me puxou fazendo-me levantar, levantei o olhar e vi aqueles olhos cor de mel e traços marcantes, lembrei-me imediatamente , era o garoto da sorveteria. 

Eu: desculpe, eu não estava olhando por onde andava.

falei corando e passei por ele voltando a caminhar, senti meu pulso ser segurado e parei imediatamente, outra pessoa no meu lugar ficaria com medo por ser segurada por um estranho, mais eu não, na verdade senti uma corrente elétrica passar por todo o meu corpo me fazendo arrepiar da cabeça aos pés.

Xx: Sam?

com ele sabe o meu nome? será que ele me conhece? será que é meu namorado?

Eu: como sabe meu nome?

ele me puxou e me abraçou.

Xx: Sam, minha Sam -falou chorando-
Eu: como me conhece? 
Xx: você não lembra de mim? -se afasta-
Eu: eu perdi a memória depois de um acidente, só lembro do meu nome.
Xx: eu sou Justin, seu irmão, eu estava com você quando sofreu o acidente, mais eu cai do carro antes de ele explodir , mais você deram como morta.
Eu: meu irmão?

perguntei decepcionada, queria que ele fosse meu namorado.

Justin: sim e preciso te levar pra casa, preciso contar aos nossos pais que você tá viva.
Eu: antes eu preciso avisar a umas pessoas.
Justin: tem empresto meu celular e você avisa a eles do caminho.
Eu: certo.

{ ... }

Justin P.O.V

chegamos em casa e eu entrei junto a Sam, papai apareceu na porta da cozinha e ao ver a Sam o mesmo arregalou os olhos e deixou a tigela em suas mãos cair, correu até Sam e a abraçou.

Pai: minha Sam, vo-você está viva.

falou beijando-a por todo o rosto, Daniel apareceu nas escadas e ao ver a cena juntou-se a papai e a Sam, ambos choravam.

Sam: quem são vocês?

perguntou e papai e Daniel ficaram com um ponto de interrogação na testa.

Eu: papai, a Sam perdeu a memória depois do acidente.
Pai: a minha princesinha.
Eu: Sam, esse são nossos pais.
Sam: nossos pais?
Eu: sim, papai é mesmo nosso pai, e Daniel é o nosso padrasto, eles são gays, chamamos os dois de pais mais quando estão juntos chamamos Daniel pelo nome.
Sam: isso é tão confuso

falou fazendo uma cara engraçada. 

Pai: vou fazer um jantar de comemoração a minha princesa.
Daniel: eu ajudo.

eles foram rumo a cozinha e eu e Sam subimos para o meu quarto, ao entrarmos a joguei na cama e fiquei por cima dela, abaixei-me e quanto estava prestes a colar nossos lábios ela virou o rosto , só ai me toquei que ela avia perdido a memória e não se lembrava de nós, me afastei rapidamente quase caindo da cama.

Sam: o que você estava fazendo? -perguntou com o que parecia ser nojo-
Eu: eu- eu estava brincando -ri nervosamente-

ela me olhou estranho e levantou saindo correndo do quarto.

aaaaaaaa meu deus, desculpem minhas princesas lindas(não to bajulando u.u) eu postei no aviso que iria postar ontem mais não deu porque fiquei doente, e ainda to doente, mais prometo que vou tentar voltar a postar todos os dias, mais se eu não postar vocês já sabem o porque, não esqueçam, leiam a sinopse de as long as you love me clica-> ALAYLM,   estão gostando da segunda temporada? o inicio pode até tá meio chato mais muitas coisas ainda irão acontecer, o que acharam do novo design do blog? 

Pra quem quer saber
Fred: Nathan kress
Débora: Madisen hill
Cristine: Catherine zeta-jones